ABRACE SUA POTÊNCIA

Muito prazer, sou Aniké Pellegrini (@keke_bp), tenho 19 anos, atuo como repórter afrofuturista no campo de produção digital e textos, apresento o programa de entrevistas Mina do Corre e com muita satisfação, digo que sou a nova colunista no Blog da Preta.

Na caminhada até aqui sempre tive medo de, não só me entregar a minha potência, mas de simplesmente enxergá-la. Primeiro porque sabemos que quando um jovem preto caminha ao desencontro do comum, perde muita torcida dos que se encontram no comum. E também porque, uma vez que entendemos o nosso tamanho e capacidade, não tem retorno.

Ao mesmo tempo que o caminho fica mais denso, porque passamos a contrariar a maioria que se contenta com o fácil, assim que nos entregamos aos braços de nossa potência, a gente ganha um combustível interno, um mecanismo dentro de nós que nos impulsiona. 


POTÊNCIA

Substantivo feminino

1.Característica do que é potente; poder 2.Capacidade de mover (algo); força 3.Capacidade para criar, produzir, agir; faculdade 4.Indivíduo de grande importância e influência.


Entramos num processo em que uma coisa leva à outra, uma conquista abre portas para outras e o mesmo fluxo passa a acontecer com ideias, projetos, desejos, vontades. Ganhamos dúvidas positivas, parecidas com: Como eu cheguei até aqui?

Escolhi trazer as nossas potências pretas como primeiro tema, porque além de terem me guiado até aqui, elas existem e brilham dentro de todos nós. Esse texto é um estímulo de coragem para que cada vez mais a gente olhe pra essa luz sem óculos de sol, sem medo de queimar a vista e confiando de que ela vai nos iluminar sem nos ferir.

Trouxe uma rápida playlist, sobre a nossa potência, com músicas que podem atuar no inconsciente de vocês e servir de estímulo para se jogarem. Pelo menos, essa é a minha intenção aqui!   

GIRL ON FIRE – ALICIA KEYS

A música diz por si só! Por mais que pareça uma garota, assim como eu e várias pretas, depois que ela pega fogo, ninguém apaga, muito menos entra na frente. Esse fogo que ela carrega, é a potência.

Okay, que na música Alicia também traz o outro lado: a solidão da mulher preta. Sabemos por experiência, já foi ilustrado em filmes, livros e séries, que poucos estão dispostos a se manter de pé, ao lado de um corpo que se destaca. Mas não vamos perder a fé no amor, tá bem?!

17 – MAHALIA

Oras… Por que brilhar, se destacar seria algo errado? Isso é o que, quem nos quer na caixa nos diria. Aliás, quem nunca ouviu que fica mais bonito de cabelo preso ou alisado, que atire a primeira pedra!

Temos que nos apropriar do que somos, carregamos e temos. Da cor dos cabelos, aos talentos e habilidades. Inclusive, vale ressaltar que, nos ensinam história na escola a partir das civilizações europeias, porque não conseguem admitir as ferramentas, conceitos e conhecimentos que nossos ancestrais desenvolveram!

DONA DE MIM – IZA

Dona de si e do mundo! Acho que essa música e esse trecho dispensam QUALQUER explicação. Volto a dizer, que precisamos nos apropriar de quem somos e ser nossos donos. Ninguém deve ocupar esse cargo além de vocês, até porque não seremos mais mercadorias!

Escuro que, além dessas 3 músicas, existe um arsenal de hinos que se encaixam nessa playlist. De “TANG” da Tasha e Tracie, ao “Diva” da queen B, passando por “Q.U.E.E.N.” da Janelle Monáe com a Badu.

E pra quem pensa “ah Aniké, me falar é fácil!” gostaria de dizer que, mesmo enxergando toda a potência que eu sou e posso ser, porque como a Alicia Keys diz, nós podemos fazer mais do que imaginamos (More than we know), o meu maior desafio continua sendo acreditar em mim e no meu taco.

Enfim… Espero que tenham gostado, porque nos veremos mais vezes por aqui!

Aniké Pellegrini
Aniké Pellegrini

REPÓRTER AFROFUTURISTA. 
redatora | storyteller | social media | produtora de conteúdo digital

1 Comment

  1. cecilia julho 6, 2020 at 11:35 pm

    Me inspira tanto que nem sei!

    Reply

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *